6 motivos para ir à Londres

Oi oi galera

Ps: O post de hoje é um oferecimento das minhas aulas de Pesquisa de Moda.

Quem me conhece sabe que eu sou completamente apaixonada pela Inglaterra e mais ainda por Londres, por motivos de: eu assisti o filme “Tudo o que uma garota quer” e me apaixonei por tudo nesse filme. Pra quem não sabe que filme é esse, ou não lembra… Vou te ajudar…

Todo mundo acha que eu me apaixonei por Londres por causa de One Direction, mas a verdade é que foi por causa desse filme. Ai ♥

Fiz 6 motivos porque não gosto de números ímpares, então vai ser 6 mesmo, ok? Ok.

1 – os maravilhosos pontos turísticos

Eu acho que a dica que eu vou dar agora, é mais importante: NÃO FINJA QUE VOCÊ NÃO É UM TURISTA! Você é um turista sim, qual o problema nisso? Você pode e deve sair tirando foto sua em tudo quanto é lugar, afinal é pra isso que você está lá, não é mesmo? A não ser que você não queria contar pra ninguém que foi pra Londres… As pessoas acham que por ser turista os londrinos vão te tratar diferente, vão te olhar de cima ou achar que são melhores do que você, o que não é verdade. Gente assim tem em todo lugar, lá tem pessoas que são assim, mas também tem pessoas que são muito gentis e prestativas. Mas voltando ao assunto… Big Ben, a Torre de Londres, o Palácio de Buckingham, London Eye, Museu de Cera da Madame Tussaud, Museu Britânico, Galeria Nacional, Museu de História Natural, Museu da Ciência, e a lista continua… São só alguns dos lugares em que você pode e deve “turistar”

2 – Compras

Uma outra dica MUITO importante: Faça um orçamento de quanto você vai poder gastar pra não sair comprando tudo logo no primeiro dia e quando vê já está sem dinheiro e não fez nem a metade do que queria. Então FAÇA UM ORÇAMENTO PELO AMOR DE DEUS!

Oxford Street 

oxford street
Com cerca de 200 milhões de visitantes por ano, mais de 300 lojas e quase dois quilômetros de extensão, a Oxford Street é um dos maiores centros de comércio de rua da Europa. Congestionada de pessoas e de ônibus, é ali que estão os grandes magazines e redes de fast fashion, da famosa Selfridges até e ultrapopular Primark. Quer mais? Ali tem Marks & Spencer, House of Fraser, H&M, Zara, Mango, Next, River Island, Benetton, French Connection, Top Shop e Topman, Miss Selfridges, New Look, John Lewis e uma Niketown, com diversos andares dedicados à moda esportiva.

TEM QUE IR: visitar a Selfridges, uma das lojas de departamento mais famosas do mundo com seis andares, onze restaurantes, duas galerias e vários serviços. Ah, e dar um pulo na Primark, onde as roupas são extremamente baratas, porém de qualidade duvidosa. Então é muito bom pra garimpar, sem contar que a maioria das blogueiras de lá usam as roupas da Primark.

Estação de Metrô próxima: Oxford Street.

Bond Street 

Bond Street
Para quem quer marcas de luxo e não tem medo de gastar, esse é o lugar! A rua é um pedaço mais chique da região da Oxford Street e é considerada uma das áreas mais exclusivas da cidade. Reune lojas da Donna Karan, Prada, Louis Vuitton, Chanel, Nicole Farhi, Armani, Jimmy Choo, Ralph Lauren, Mulberry, Burberry, D&G, Miu Miu, Alexander McQueen, uma do ladinho do outra. Se o seu negócio são as jóias, tem a Cartier, a Tiffany e a Asprey também. E mesmo que o orçamento não seja tão grande assim, vale só pelo fato de ter ido.

TEM QUE IR: escolha aquele estilista que você ama e vá à loja dele sem medo, nem que seja só pra ver de perto. Diferente do Brasil, dificilmente um vendedor vai te olhar feio porque você não está comprando nada.

Estação do metrô mais próxima: Bond Street.

Carnaby Street 

carnaby street
Nos anos 60, Carnaby Street era o centro da moda jovem mundial e da então chamada “Swinging London”, termo usado para descrever a efervescência cultural da cidade naquela época. Hoje, continua uma região de marcas mais jovens como Puma, Diesel, Pepe Jeans, Miss Sixty, Twenty&Twelve, Onitsuka Tiger, American Apparel, Replay, WeSC e Liberty. Relativamente pequena, tem mais de 140 lojas, bares e restaurantes espalhados num espaço todo arrumadinho, fechado para carros, cercado de arranjos de flores e um clima pra lá de cool.

Para quem gosta de sneakers, há várias lojas dedicadas ao tema. Isso sem falar nas lojas de maquiagem, como a MAC e a Cowshed, um paraíso para as mulheres.

TEM QUE IR: não fica exatamente em Carnaby Street, mas há três minutos dali, caminhando, você encontra a Marc by Marc (South Audley Street, 56). Tem desde souvenires a uma libra, passando por legítimas carteiras Marc Jacobs a 17 libras, até camisetas de 20 libras.

Estação do metrô mais próxima: Oxford Street.

Regent Street 

regent street
Se você não se contentou com as lojas de departamento da Oxford Street, ainda tem a opção de ir para Regent Street, a segunda maior rua de comércio de Londres. Além das “flagship stores” de nomes como Zara, Mango e Banana Republic, tem Zara Home, Habitat (loja de decoração e móveis moderninhos), Gap e Baby Gap, Massimo Dutti, Brooks Brothers, Armani Exchange, The Body Shop, Lush, Uniqlo, Calvin Klein, H&M, Esprit… Mas a maior atração dessa, rua famosa pela decoração de Natal, são mesmo as lojas da Apple e gigantesca loja de brinquedos Hamley’s (considerada uma das maiores do mundo – título disputado com a F.A.O. Schwartz, de Nova York).

Lá você ainda encontra a Lillywhites, um enorme prédio só de moda esportiva, lojas dos orientais Miu Miu, Anya Hindmarch e Yohji Yamamoto, sem falar na Saville Row. Paralela à Regent, essa rua é mundialmente famosa pelas roupas masculinas e os ternos de primeiríssima qualidade.

TEM QUE IR: Hamley’s, onde você vai querer voltar a ser criança. John Lobb (St James’s Street, 9), em Saville Row. Fundada em 1849, é uma das lojas de sapatos mais tradicionais da Inglaterra, servindo a família real desde sua fundação. Ali, os sapatos são feitos sob medida e as formas dos pés dos clientes são guardadas por anos. Agora você me pergunta: Qual é o preço? De duas mil a seis mil libras, O PAR!

Estação do metrô mais próxima: Piccadilly Circus.

Covent Garden 

covent garden
O legal dessa região são os inúmeros artistas de rua que se apresentam por ali, enquanto pessoas circulam atrás de roupas, presentes e muitas comidinhas. O mercado de Covent Garden começou no século 16, quando monges comercializavam ali suas flores, frutas e legumes. Em pouco tempo, o local se tornou o principal mercado desse tipo de produtos da Inglaterra. Hoje, conta com outlets de grifes como Marks & Spencer, Oasis, French Connection, Next e Monsoon. A moda masculina está disponível em lojas como Diesel, Replay, Oakley e Paul Smith. Foi circulando por Covent, que a top Naomi Campbell foi descoberta, aos 15 anos de idade.

TEM QUE IR: Wow Retro (Mercer Street, 10-14). Trata-se de um ótimo brechó de roupas masculinas e femininas, com araras divididas por décadas – dos anos 20 até os dias de hoje! Por não ser tão caro, é uma boa pedida para quem quer garimpar peças principalmente dos anos 60, gastando menos de 10 libras.

Estação do metrô mais próxima: Covent Garden.

Camden Market 

camden lock
Uma das feiras mais alternativas e turísticas de Londres (e do mundo), Camden Town ferve aos domingos (apesar de estar aberta todos os dias) com suas barraquinhas repletas de roupas e acessórios para todos os gostos. Em Camden Lock Market dá até pra se perder no meio dos corredores de lojinhas, que ficam mais ou menos dividas por gostos e estilos. Além disso, ali você encontra muitos brechós, peças vintage, objetos artesanais, discos de vinil. Sem falar nos punks, que ficam circulando por ali e até cobram caso você queira tirar uma foto com eles pra levar de lembrança!

TEM QUE IR: ótimo lugar para comprar jaquetas de couro perfeitas por um bom preço. Se esse não é seu estilo, há brechós com roupas de todas as épocas e para todos os gostos. Num deles há, por exemplo, uma enorme arara só de trench-coats da Burberry saindo a partir de 20 libras.

Estação do metrô mais próxima: Camden Town.

Brick Lane

brick lane


Localizado no East End londrino, ferve aos fins de semana. Começa bem cedinho, com mercados de roupas e comidas funcionando a mil por hora e vai até a noite, quando as ruas ficam lotadas de pessoas atrás de algumas das melhores baladas da cidade. Brick Lane não é somente uma rua, mas um conglomerado de mercados que, muitas vezes, você não consegue entender onde começa um e termina outro.

Dentro deles, muitas barraquinhas com peças vintages e novos estilistas. Quer dicas? Se for pra lá, procure o Spitafields Market e o Landen Showroom. É lá também que está localizado a Absolute Vintage, o maior brechó de sapatos da Inglaterra – são mais de mil pares, de 1930 a 1980.

TEM QUE IR: além das lojas de roupa, é um lugar imperdível para comer. São inúmeras opções, mas, para um passeio bem londrino, não deixe de provar os incríveis bagels de salmão defumado com cream cheese ♥

Estação do metrô mais próxima: Aldgate East

Source: Glauco Sabino, de Londres. 

3 – Nightlife

Sabe aquela frase “work hard, play hard”? Então…

Funky Buddha

Uma das mais famosas casas noturnas de Londres, é a Funky Buddha. E eu como não sou boba, quando for pra lá, a primeira balada que eu irei vai ser a Funky Buddha. Dá só uma olhadinha em como é e quem já esteve lá:

Além da Funky Buddha, tem a Koko que tem shows, a XOYO que de fim de semana tem djs tocando e na semana tem shows com bandas novas, The Nest, Fabric, Egg London e Corsica Studios.

Flamingo Pier

Flamingo Pier

Se você não gosta de ficar dentro de um lugar todo fechado, escolha um dos Pop-Ups, que são como pubs só que ao ar livre e com musica bem, BEM alta.

Pra esse ano, o pessoal do Flamingo Pier, resolveu inovar e a cada noite o bar vai ter um tema tropical diferente, inspirados em lugares como Bali, Filipina e Miami.

Além do Flamingo tem o The Rhythm Parlour, Turntables, Summer Tales, Kopparberg Urban Forest e Dinerama.

Sem contar as peças de teatro, festas em coberturas, etc…

4 – A História

Londres tem a maior quantidade de prédios históricos DO MUNDO! A história de Londres é longa e dramatica, e você pode ficar sabendo de tudo visitando os museus, centros históricos como o Hampton Court Palace que muitos acreditam ser um castelo assombrado por fantasmas. Então, se assim como eu, você gosta dessas histórias de fantasmas e tudo mais, é um bom motivo pra ir visitar, não acha?

5 – Os parques e jardins

Quem poderia imaginar que no meio de uma cidade grande e movimentada poderiam haver tantos parques em que o único barulho que se ouve é o dos passarinhos.

Primrose Hill

Epping Forest

Holland Park

Kew Gardens (Royal Botanic Gardens)

Serpentine Boating Lake

Victoria Park

6 – As Pessoas

Londres pode não pode ter uma grande reputação por ser cheia de simpáticas e acolhedoras pessoas, mas na verdade, a cidade é a maravilha que é por causa da grande diversidade de pessoas fascinantes que vivem lá. Em todos os lugares que você olhar você vai ver as pessoas fazendo coisas incríveis, quer se trate de construção de negócios ou realizar atos de circo na rua. Todo mundo tem uma história para contar, e em uma visita a Londres vale a pena falar com tantas pessoas quanto possível para ouvir algumas das histórias surpreendentes.

E é isso galera, espero que tenham gostado do post de hoje.

xx

Jen

Me ache nas redes sociais: 

Facebook ~ Instagram ~ Twitter ~ Pinterest ~ Tumblr

Anúncios

8 comentários sobre “6 motivos para ir à Londres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s